Header Ads

A Grande Aposta

Bolha imobiliária, subprimes, CDOs, swaps, siglas e mais dezenas termos técnicos econômicos são como gotas de pimenta desidratadas no delicioso sorvete gourmet de caja servido no estupendo A Grande Aposta. Quem vai degustar acha estranho e tende a dizer: melhor não, obrigado. É justamente por essa negação, de não tentar entender como realmente funciona a economia, que crises como a Grande Recessão de 2008 sempre são pagas pelo pobres e desavisados. Os banqueiros e negociadores de Wall Street ficam putos, mas é por conta do dinheiro que eles perdem e assim ficam menos ricos.

A crise de 2008 já tinha um Oscarizado documentário, Trabalho Interno (obra obrigatória para entender a crise) e o interessante O Dia Antes do Fim. A Grande Aposta parece ser a obra definitiva que agrupa tudo, mastiga, engole, regurgita e oferece para o espectador provar. Desculpe, mas o conteúdo é puro vômito mesmo e, não duvide, é saboroso. Complexo e difícil de ser compreendido, por conta do excessivo "economês", o ótimo roteiro adaptado da obra The Big Short: Inside the Doomsday Machine, de Michael Lewis, se esforça para explicar essas siglas e maracutaias que levaram o planeta a derrocada em 2008. Poxa, se a Selena Gomez entende e consegue explicar, você não vai conseguir?

Agora é de assustar que o diretor Adam McKay, muito conhecido por comédias como O Âncora e Tudo Por um Furo, consiga um resultado tão espetacular nesse seu primeiro "pseudodrama". Sim, pois ele não é um drama, é puro sarcasmo com sabor de anis. Brilhante é a maneira como alguns personagens quebram a quarta parede, explicando para os espectadores alguns nuances da história ou mesmo, ratificando, que por mais absurdo, isso realmente aconteceu.

Christian Bale está ótimo como sempre e agora com um olho de vidro pra lá de estranho. Uma espécie de gênio matemático "metaleiro". Quem arrebenta é Steve Carrel, que na temporada passada já tinha feito o mesmo em Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo. Há um misto de hipocrisia e busca de redenção no personagem de Carrel, algo que faz o espectador torcer para que ele fique bem. Mas é difícil ficar bem quando você percebe, com algum tempo de antecedência, que a economia do planeta vai ruir e você não pode fazer nada.

A Grande Aposta é um filme maduro, adulto e que muita gente não vai entender. Insista, veja de novo. Há excelentes mensagens além da trama principal contando como a incompetência, ganância e as fraudes levaram não só um país, os EUA, mas o planeta à recessão, que de certa forma, sete ou oito anos depois, ainda não nos reerguemos plenamente. Contudo, a moral mais óbvia dessa parábola econômica  é que, na crise, sempre há ganhadores, por mais desastrosa que ela seja. Pense nos investidores das quatro trupes relatadas no filme: enquanto todos perderam, eles ganharam. E muito. Sorte? Acaso? Não, apenas economia. Alguém está sempre feliz quando o dólar sobe, os juros disparam ou a bolsa despenca. Quer viver melhor e entender como esse planeta funciona? Estude mais economia. A Grande Aposta é um belo jeito de inciar os trabalhos.



A Grande Aposta (2015)
Direção: Adam McKay
http://www.imdb.com/title/tt1596363/

  Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-
Tecnologia do Blogger.