Header Ads

Beasts of No Nation

Beasts of No Nation é um filme duro de assistir, afinal, ele tira a viseira de burro ocidental e nos faz enxergar, mesmo que superficialmente, o lado sombrio da África. Agu, interpretado com vigor pelo jovem Abraham Attah, é uma síntese da beleza, alegria e inventividade do povo africano, cujas cenas iniciais com as peraltices infantis mostram bem esse lado. Contudo, por meio dele enxergamos como essa beleza tem sido manchada nos últimos anos, de um rubro escuro, como o sangue que vem tingindo grande parte do continente africano.

Dirigido por Cary Joji Fukunaga (da exuberante 1ª temporada da série True Detective) o longa propositalmente não deixa muito claro quem está certo ou errado nos dois lados da guerra. Se é que existe dois lados. No fundo, não há mocinhos ou bandidos nessa história toda. Curioso é ver tanta arma pesada, de cunho militar, nas mãos de rebeldes. Assista O Senhor das Armas e vai entender como essas armas chegaram à Africa.

Quem não aproveita bem o potencial dramático do enredo para entregar uma arrojada atuação é Idris Elba, que acho um bom ator, mas aqui está contido um pouco demais. Ele é um vilão, que não parece vilão, surge como salvação ao jovem Agu, mas no fundo, é um vagabundo e FDP como todos que fomentaram as guerras civis no continente africano. Ele perdeu uma grande oportunidade de construir algo espetacular. Fez um bom trabalho, mas o bom, não basta. A força do filme está no protagonista Agu. Acompanhamos sua infância sendo despedaçada pela guerra. O grande problema do filme é que seguimos toda essa trágica jornada de Agu um tanto à distancia. É como se estivéssemos observando de dentro daqueles veículos blindados da ONU, de maneira protegida. Falta uma urgência, uma angústia, aquele aperto na garganta que Hotel Ruanda conseguiu atingir.

Ainda assim Beasts of No Nation é um dos filmes obrigatórios da temporada, por conta da sua temática necessária de ser vista e debatida, mas também por ser a primeira produção distribuída pelo Netflix. O filme foi para os cinemas, mas também está disponível (streaming) para ver em casa, ou no computador ou no celular. Ele marca uma nova era do mercado do cinema, mas gostaria que ele fosse mais lembrado pela discussão que propõe e nos fazer refletir: quantos meninos como Agu tiveram as vidas dilaceradas pelas guerras civis na África?



Beasts of No Nation (2015)
Direção: Cary Joji Fukunaga
http://www.imdb.com/title/tt1365050/


  Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-
Tecnologia do Blogger.