Header Ads

Julieta


Julieta pode ser equivocadamente visto como um filme menor na radiante e avermelhada carreira de Pedro Almodóvar, mas não se deixe enganar, pois esse espanhol fascinante consegue tirar boas coisas onde parece não ter lá tanta coisa. Temos aqui um drama simples, triste e que trata a depressão de maneira honesta, sem estardalhaço ou grande reviravoltas. Julieta é sobre viver, perder coisas importantes, catar o cacos e começar de novo. Ou seja, é um filme sobre a vida normal de um ser humano, o que para muitos soará como chato. Pelo olhos e as lentes das câmeras de Almodóvar isso ganha uma beleza muito especial.


Destaca-se, obviamente, as boas atuações das duas Julietas, 
a linda Adriana Ugarte, como a jovem Julieta, e Emma Suárez, que conta a sua história para espectador. A cena que faz a passagem entre a fase jovem e fase atual é impecável. Não atoa ela foi escolhida, com algum licença poética, para o poster do filme.

Almodóvar traz aqui em Julieta um exercício melodramático, com umas doses de novelão latino e consegue a função básica desse gênero: aguçar a curiosidade do espectador para saber o que realmente aconteceu na relação de Julieta e sua filha. O final é mais simples do que se imagina, o que parece diminuir ainda mais o impacto do filme. A vida é assim, simples. São nossas escolhas que tornam a vida mais feliz, triste, chata, repetitiva, azul, roxa ou vermelha. Perceba que a vida de Julieta é bem expressada nas cores das roupas que ela usa. E ai, qual a cor da sua vida atualmente? Não é um filmaço de Almodóvar, mas continua sendo um Almodóvar, só mais enxuto.




Julieta (2016)
Direção: Pedro Almodóvar
http://www.imdb.com/title/tt4326444/

  Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-
Tecnologia do Blogger.