Header Ads

Um Santo Vizinho

Bill Murray é daqueles atores que quando for embora para o andar de cima, vai fazer uma falta danada. Em um filme despretensioso e quase simplista como Um Santo Vizinho ele consegue elevar essa comédia dramática a um nível tão maravilhoso, que não se assuste se você estiver chorando na sequência final. Poxa, mas uma história tão bobinha e rasteira, e eu aqui chorando? Por quê? Simples, é um filme com o talento de Mr. Murray.

Vincent (Bill Muray) é um velho fracassado, alcoólatra, transa com prostitutas grávidas e que ainda tem dívidas de jogo, ou seja, um loser com data de validade quase vencida. Imagine esse fracassado sendo babá de um garoto, de uns 10 anos, cuja mãe recém separada precisa se dedicar muito ao trabalho para arcar com os custos da casa e da educação do filho. Temos então um roteiro/receita sem grande ousadia, em que Vincent leva o garoto para os piores lugares da cidade, mas ainda assim, torna-se o herói do muleque. Poxa, mas que enredo batido e previsível. Reconheço, mas desafiante mesmo é pegar algo, que já foi feito várias vezes no cinema, e conseguir extrair um sopro revigorante.

Dirigido e escrito pelo estreante Theodore Melfi, o filme diverte o espectador com as atitudes politicamente incorretas de Vincent e dramatiza de maneira coerente a maneira como julgamos as pessoas pela primeira impressão. Ninguém é santo o tempo o todo, mas também não é horrendo sempre. Como diria Shrek, "os ogros tem camadas". Claro que grande parte do sucesso narrativo do longa deve-se a carismática relação da dupla Vincent (Murray) e Oliver (Jaeden Lieberher).

Ao fim, Um Santo Vizinho consegue um resultado satisfatório na qual o espectador sai contente do seu momento de entretenimento e ainda refletindo sobre os temas debatidos pelo longa. Convenhamos, isso não é tão fácil como se imagina, portanto vale a pena conferir. Certamente não vai promover uma revolução na sua vida, ou lhe fazer acreditar mais nas pessoas, mas lhe dará mais uma oportunidade de conferir o talento inigualável de Bill Muray. Aproveite, afinal, o tempo passa e nem eu, ou você leitor e até o Bill Muray ficaremos por aqui por tanto tempo. Pois para ser canonizado, o santo precisa morrer. Mas eita regrinha horripilante essa, não é?  

Ps.: Naomi Watts está assustadoramente estranha como uma russa prostituta grávida.



Um Santo Vizinho (St. Vincent - 2014)
Direção: Theodore Melfi
http://www.imdb.com/title/tt2170593/

Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-
Tecnologia do Blogger.