Header Ads

Dois Dias, Uma Noite

Já nas primeiras imagens de Dois Dias, Uma Noite o espectador se assusta com a visão triste e desleixada de Sandra (Marion Cotillard), na qual não é preciso muitas cenas para perceber o quadro depressivo da garota. Mas não se sabe se essa melancólica angústia é por conta, apenas, do dilema vivido por Sandra, que tem dois dias e uma noite para mudar a opinião de 16 companheiros de trabalho que optaram por um abono salarial de mil euros, em detrimento da demissão da protagonista. Claro que pode ficar pior, ela é casada, tem dois filhos e só com o dinheiro do marido não será possível arcar com as contas. A dolorosa jornada de Dois Dias, Uma Noite não só dilacera seus protagonistas, mas também o espectador, que infelizmente, não contam com o apoio dos comprimidos de Xanax.

Dirigido pelas irmãos Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne (do ótimo A Criança) o longa promove uma excelente discussão social e humana em que pergunta ao espectador: Se fosse você um dos trabalhadores, abriria mão do abono para ajudar uma companheira de trabalho? Parece uma resposta "sim" automática, mas o contexto é bem mais complexo. São operários que, qualquer dinheirinho a mais, faz muita diferença no orçamento. Junte ao tempero boas pitadas de egoismo e leves salpicadas de desprezo. Sandra precisa lidar com isso tudo em um final de semana. A tarefa de convencer os colegas só não é tão árdua quanto a dela enfrentar suas atuais limitações psíquicas.

Dois Dias, Uma Noite é um filme provocante, cuja cena final é emblemática ao mostrar a atual face do caráter das empresas, na qual o lema poderia ser: "Não faça o certo, faça política." O delicioso dessa jornada é ver o talento de Marion Cotillard, que chega a gerar ódio no espectador por conta da fraqueza e conformismo que a atriz compõe a frágil e depressiva Sandra. É um trabalho fino e repleto de detalhes. Perceba como todo esse empenho de Cotilard é fundamental para a conclusão da trama, em que talvez a grande batalha de Sandra não seja realmente resgatar o seu emprego, mas resgatar a si mesma. Sinto que precisamos de mais filmes debatendo a profundidade da depressão, o mal do século.



Dois Dias, Uma Noite (2Deux jours, une nuit - 2014)
Direção:  Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne
http://www.imdb.com/title/tt2737050/

Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-
Tecnologia do Blogger.