Header Ads

O Idiota do Nosso Irmão

Como diria os Titãs: Família! Família! Almoça junto todo dia, nunca perde essa mania... Alguns podem até presunçosamente achar que suas famílias são melhores ou mesmo piores, mas no fundo, possuem uma coisa em comum - problemas? Não, tem sempre um idiota. Paul Rudd empresta seu talento nessa deliciosa comédia de costumes em que um sujeito dócil, meio hippie e que ama a todos, sobretudo cachorros, pode ser equivocadamente mal interpretado pelo mundo e seus familiares. Afinal, desde que quando tentar ser feliz é inciativa idiota?

Com o suporte de um excelente elenco, em que se ressalta as irmãs Natalie (Zooey Deschanel), Miranda (Elizabeth Banks) e Liz (Emily Mortimer), Paul Rudd parece usar O Idiota do Nosso Irmão como um manifesto, tipo: Olhem aqui, eu sou um grande ator e um ótimo comediante, por que insistem ignorando-me? Creio que não é isso que Rudd queira, mas é isso que passa pela minha cabeça. Está passando da hora de reconhecer o trabalho desse sujeito. Que seja uma indicação no Globo de Ouro. Protesto feito, voltemos ao filme.

Ned (Rudd) é um daqueles membros desajustados da família, que na visão de todos, parece viver no mundo da Lua. Ele é um ser simples, que pressionado, confidencia um segredo, sem mesmo perceber que isso acaba se tornando uma fofoca. O que enxergamos como idiotas, as vezes é apenas simplicidade. A cena inicial mostra isso claramente, em que ele vende maconha para o Policial. Perceba que ao longo do filme, todas as pessoas ditas normais, são um tanto chatas e intoleráveis. Ned é sempre o cara mais bacana, gentil e cativante do lugar, o que é bem exemplificado na sua relação como tio e ao conseguir informações com a fonte da matéria jornalística produzida pela irmã.

Com uma conclusão satisfatória e uma boa lição de moral final, O Idiota do Nosso Irmão leva-nos a pensar que, por vezes, é preciso ser um pouco idiota para vivermos melhor me nosso mundo. As coisas podem ser mais simples, com plantações de legumes e verduras, um cachorro, uma família unida e, tendo algum tempo, dar pra fumar um baseado também.  


O Idiota do Nosso Irmão (Our Idiot Brother - 2011)
Direção: Jesse Peretz
Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-

Tecnologia do Blogger.