Header Ads

Garota Exemplar

É raro, mas acontece as vezes. David Fincher sempre foi um dos meus diretores favoritos, desde Seven, Vidas em Jogo, passando pelo venerado Clube da Luta e o complexo Zodíaco. Mas receio que ele, finalmente, tenha chegado a sua obra prima. Garota Exemplar beira a perfeição. O melhor a fazer é não saber nada sobre o enredo e não ver o trailer. Assista e se entregue a essa trama densa, árida, repleta de viradas de um homem a procura de sua esposa desaparecida. Contudo, o problema de procurar algo é que, as vezes, se encontra mais do que deveria. Mas isso acontece, só as vezes.

O longa é um extraordinário filme de suspense em que o espectador vai montado as pecinhas do quebra cabeça e a cada novo passo vai ficando boquiaberto com o quadro. Lá pelas tantas, não se assuste se palavrões vierem a sua cabeça e alguns até saírem à boca, pois é isso que o filme quer de você. Que entre nesse circo estranho que é a vida de Nick (Ben Affleck) e Amy (Rosamund Pike). Angustiante é tentar sair dele, pois o labirinto de reviravoltas não lhe deixa zonzo ou desorientado, mas obcecado em desvendar o mistério proposto pelo filme.

A temporada de prêmios 2015 está chegando e Garota Exemplar é um baita candidato, sobretudo na boa atuação de Ben Affleck e da arrasadora Rosamund Pike. Muitas atrizes em Hollywood devem estar fulas da vida com essa loirinha inglesa que conseguiu um dos melhores papéis femininos dos últimos anos. Curioso é que, excetuando a tal Garota Exemplar, vivida por Rosamund Pike, a atuação de todo o elenco, a direção, a fotografia e a trilha sonora quase passam desapercebidas pelos espectadores, tamanho esforço disso tudo para que as pessoas se sintam dentro do drama, e não numa poltrona de cinema assistindo. Mais de uma vez escutei espectadores ao meu lado xingando os personagens, ou seja, eles já eram parte do filme. Diante disso volto a louvar o ótimo trabalho de David Fincher. Infelizmente, um dos melhores filmes da temporada passada, Os Suspeitos, que tem uma temática bem semelhante, não foi lembrado nas premiações. Tomara que não aconteça o mesmo aqui.

Confesso que sai feliz do cinema ao ver David Fincher retornando ao patamar que faz jus a seu talento. Ainda que, ao meu ver, tenha escorregado nos últimos três filmes,  O Curioso Caso de Benjamin Button, A Rede Social Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres, essas obras são bem-quistas pelo público e apresentam um resultado, no mínimo, satisfatório. Garota Exemplar marca um grande momento na carreira de Fincher e estabelece de vez o carimbo de DIRETOR GIGANTE na testa dele.

Garota Exemplar é um conto agridoce que busca na figura feminina alguns dos piores traços do comportamento humano. Assim como avisei em O Lobo Atrás da Porta, não é prudente fomentar raiva e ódio numa mulher. Elas são tão misteriosas que há quem diga que o assassino mais famoso da história, Jack O Estripador, era do sexo feminino. Controvérsia ou não, só sei que após assistir esse filme irei prestar mais atenção a minha esposa. Sabe-se lá não é. Vai que acontece alguma coisa... comigo, claro.

Pergunta de Cinéfilo: O fato do roteiro adaptado ser feito pela própria escritora do romance homônino, Gillian Flynn, contribuiu para que a história tenha ficado tão redonda e impactante? Complexo isso, mas instigante.



Garota Exemplar (Gone Girl - 2014)
Direção: David Fincher
http://www.imdb.com/title/tt2267998/

Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-
Tecnologia do Blogger.