Header Ads

O Roubo da Taça


Viu essa cineastas brasileiros? É possível fazer comédia, contar um causo delicioso, fazer boas reflexões e ainda ganhar uma grana. E nem precisa roubar nada e nem ninguém. O Roubo da Taça afana não só nossa atenção para um dos casos mais mal explicados da nossa história: o roubo da Taça Jules Rimet, a taça do tricampeonato mundial de futebol do Brasil.


O filme acerta na taça, digo na mosca, ao escolher o louco "Larica Total" Paulo Tiefenthaler como protagonista, o carioca metido a espertinho, Peralta. Ele sintetiza o jeitinho brasileiro que tanto atrapalha esse país. A cena dele de cueca com a Taça na manhã seguinte ao roubo é uma obra prima. Só um imbecil brasileiro grita em alto e bom som que está com a Taça para que os vizinhos possam escutar. Ah, e a usa daquele jeito. Entendi, se é taça, então...

O filme o faz rir, se indignar e ter vergonha de um passado tão recente. Mas é pior. Nós, burros e brasileiros, acreditamos que a taça foi realmente derretida. E por um argentino ainda. A base do troféu nunca foi encontrada. E você acha que algo tão valioso, o troféu do esporte mais importante do planeta, não iria virar um precioso e ilegal souvenir? Algum milionário ri da nossa cara toda vez que olha para a sua Julie Rimet guardadinha em algum lugar do mundo.



O Roubo da Taça (2016)
Direção: Caito Ortiz
http://www.imdb.com/title/tt5519250/

  Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-


Tecnologia do Blogger.