Header Ads

Doutor Estranho


E a Marvel acerta de novo, e de novo, e de novo. Temos em Doutor Estranho o Universo Cinematográfico Marvel (UCM) adentrando o mundo mágico e solidificando a visão sobre mundos multidimensionais. Das seis grandes peças do tabuleiro que a Marvel vem trabalhando em seus filmes, temos aqui o posicionamento da quinta peça. Falta uma. (Mais sobre isso abaixo)

ROTEIRO - O principal elogio à produção é o fato do filme ser o mais adulto até aqui, tanto em temática quanto no peso visual, sobretudo nas mortes, o que me remeteu às séries do Universo Televisivo Marvel ( Demolidor, Jéssica Jones e Luke Cage). O roteiro passeia pela postura arrogante do brilhante neurocirurgião, passando pelo violentíssimo acidente, a depressão, a discussão sobre a existência de algo maior do que nosso plano físico e uma ótima mensagem: sempre há novas possibilidades para a vida. Em suma o filme continua a discussão sobre "o que é ser um herói" dos últimos filme da Marvel, sobretudo em Capitão América: Guerra Civil e Homem Formiga. Você pode ter um milhão de defeitos, Tony Stark e Dr. Estranho são ótimas referências, mas é possível superar isso, fazer o bem e até ser um herói. Quem não tem defeitos? Portanto, eu e você leitor também podemos ser heróis, como diria o saudoso David Bowie. São essas sutilezas que deixam a Marvel há alguns anos luz das produções da DC.

ELENCO - Com uma boa história, densa, dramática e com alguns toques de humor, eram precisos bons atores para que toda essa magia fosse para tela. Convenhamos, você não ficou surpreso com o anúncio de que  Benedict Cumberbatch (O Jogo da Imitação) viveria o mago Doutor Estranho? Esse cara aí é um baita ator, desses que fazem filmes para Oscar e não filmes de super heróis, eu me perguntava espantado após o anúncio. O drama vivido pelo protagonista necessitava de um ator excepcional e não apenas um sujeito bem maquiado, que fotógrafa bem e repete as falas do roteiro.  Uns 40% do resultado do filme se dá pela escolha correta de Cumberbatch.

Mas coloque junto o vilão interpretado por Mads Mikkelsen (A Caça), temos ainda Mordo com Chiwetel Ejiofor (12 Anos de Escravidão), a Anciã com Tilda Swinton (Precisamos Falar Sobre Kevin) e a melhor escalação do elenco com a sempre eficiente Rachel McAdams (Questão de Tempo) que vive a Dra. Christine Palmer, que faz o par romântico com o protagonista e que finalmente dá certo em uma produção do UCM. Será que o crescimento dramático das histórias de super heróis está atraindo grandes atores indo além do dinheiro?

DIREÇÃO - Visualmente arrebatador e que causa até vertigens visto em 3D IMAX (isso é um elogio), o acabamento estético do filme é de babar. Os efeitos visuais são espetaculares e funcionam perfeitamente com a profundidade de campo propiciado pelo 3D ( ufa, finalmente estão aprendendo com Star Wars: O Despertar da Força). Mas o que me deixou assombrado é saber que tudo isso que vemos em tela (e é muita coisa mesmo) foi dirigida por um diretor pouquíssimo conhecido como Scott Derrickson, que tem na filmografia apenas pequenos filmes de horror como A Entidade e Livrai-nos do Mal. É um trabalho primoroso e que merece todos os elogios que vem recebendo.

TRILHA SONORA - O que mais me encantou foi a inspirada trilha sonora do sempre talentoso Michael Giacchino, famoso pelo trabalho em Lost e animações da Pixar. A Disney e a Marvel perceberam que um dos grandes segredos da saga Star Wars é que toda aquela beleza criada por George Lucas não só andava nos trilhos do roteiro, mas também dançava ao som do mestre John Williams. O que sempre faltou aos filmes da Marvel, a moldura sonora, temos sobrando em Doutor Estranho. Mais um ponto para filme.

Doutor Estranho é visualmente arrojado e tematicamente interessante. O melhor é saber, na cenas pós-créditos, que teremos uma continuação. O fato de já estar ansioso para ver mais, mostra o quão eficiente o filme é.

CENA PÓS CRÉDITOS 1 - Uma piadinha bobinha com Thor, cerveja e uma amarração com o próximo filme do Deus do Trovão, Thor 3: Ragnarok. Sim, Doutor Estranho estará no filme.

CENA PÓS CRÉDITOS 2 - O link para a continuação do filme em que realmente veremos quem é Mordo. 

UCM - [Momento NERD] O tabuleiro que a Marvel está montando com seus filmes possui seis peças, seis joias do infinito. Com Doutor Estranho cinco delas já foram postas, vamos lembrar:

Tesseract - apareceu em Capitão América - O Primeiro Vingador e reapareceu com Loki em Os Vingadores e agora sem encontra guardada em Asgard, terra de Thor.

Éter - Surge em Thor: O Mundo Sombrio e está guardado com O Colecionador (será que Adam Warlock está escondido com ele também?)

Orbe - Surge em Guardiões da Galáxia e está guardado com a Tropa Nova.

Joia da Mente - Surge em Os Vingadores: Era de Ultron e a partir dela foi criado Visão, na qual a pedra se encontra na testa dele.

Olho de Agamotto - Surge em Doutor Estranho e encontra-se guardada em Kamar-Taj, no Nepal.

Diante disso temos mais uma joia do infinito a ser encontrada o que culminará no próximo Vingadores: Guerra do Infinito em que o vilão Thanos irá recolher as seis pedras para a Manopla do Infinito, uma espécie de luva que agrega os poderes de todas as joias. Nós já a vimos nas cenas pós-crédito de Thor, mas tudo indica que há duas e os próximos filmes devem aprofundar essa trama.




Doutor Estranho (2016)
Direção: Scott Derrickson
http://www.imdb.com/title/tt1211837/

  Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-


Tecnologia do Blogger.