Header Ads

Corações de Ferro

Após tantos clássicos e espetaculares filmes sobre o tema guerra, deve ser desafiante encontrar um novo recorte a ser debatido com o público, sobretudo em relação a Segunda Guerra Mundial. Corações de Ferro mostra uma faceta dolorosa em que explora a angústia dos soldados aliados pelo fim das batalhas, afinal, a guerra está praticamente vencida. Os americanos já estão dentro da Alemanha e, é questão de tempo a rendição dos nazistas. Mas o conflito segue, mais pessoas morrem e o aguardado fim não chega. Em uma determinada cena um soldado questiona Collier Wardaddy (Brad Pitt) sobre por que os nazista não desistem logo. Ele responde: Você desistiria? Corações de Ferro é filme duro sobre o quão danosa são as consequências de uma guerra, do começo até o fim. Sobretudo, no fim.

Escrito e dirigido pelo cada dia mais competente David Ayer (Marcados para Morrer) o longa é visualmente exuberante e consegue extrair a monstruosidade e também a beleza do ser humano, utilizando o pequeno universo dos cinco ocupantes do tanque de guerra Fury. O sujeito pode soar sádico, cruel, religioso, gentil, arrogante, covarde e, na maioria das vezes, corajoso. Cada um dos personagens tem um pouco disso tudo, mas o que os uni é a coragem. Talvez seja ela que os tenha mantidos vivos por tanto tempo.

A chegada de um novo integrante ao tanque, Norman, gera ansiedade e tensão aos integrantes, mas como líder, Collier precisa prepará-lo o mais rápido possível, afinal, a vida de todos integrantes depende dessa adaptação rápida. O trabalho do elenco do tanque é espetacular com destaque para Shia LaBeouf e Jon Bernthal. Claro que Brad Pitt consegue outra atuação exuberante e rica em detalhes, em que podemos tentar compreender que alguns líderes faziam de tudo, literalmente tudo, para manter seu pelotão a salvo. Como a própria conclusão do filme mostra, o melhor para todos nem sempre quer dizer o melhor para você.

David Ayer consegue um bom resultado, ainda que filme não vá figurar entre os clássico de guerra. Mas a cena de Norman debaixo do tanque gera uma reflexão esplêndida e carregada de ansiedade, afinal, não só os aliados queriam que essa guerra terminasse logo. Corações de Ferro é uma obra ficcional que, não duvide, infelizmente deve ter acontecido diversas vezes durante as guerras, sejam em tanques, aviões, navios ou pelotões de terra. Mas a pergunta que nenhum filme de guerra consegue responder é: qual o real preço desse sacrifício.



Corações de Ferro (Fury - 2014)
Direção: David Ayer
http://www.imdb.com/title/tt2713180/

Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-
Tecnologia do Blogger.