Header Ads

Não Cresça


A premissa de Não Cresça tem um gigantesco potencial mas que, infelizmente, a produção não consegue explorar plenamente. Algum surto ou doença ataca apenas adultos, que se tornam zumbis violentos e as crianças precisam aprender rápido a se defender [leia-se atirar]. O longa já começa errado ao mostrar jovens de um orfanato em que, estranhamente, não há um adulto. Soa curioso não ver ninguém além dos moleques. Será feriado? Uma greve? Eles estão de castigo? O roteiro não sabe lidar com essa boa expectativa e opta pela saída sem graça de um sustinho ali e outro acolá.


Mas ainda há um potencial sensacional que é a questão: o que faz de você um adulto? O roteiro brinca, com brilhantismo, com a questão jurídica da fase adulta. A garota faz 18 anos na data do evento apocalíptico e não se transforma no zumbi raivoso. Portanto, não tem a ver com idade. Perceba como o roteiro faz a passagem do casal de sobreviventes da infância para a idade adulta, não só pela relação sexual e amor que um começa a cativar no outro, mas também pela responsabilidade de cuidar de uma outra criança. A chave que torna uma pessoa adulta é a maturidade. Fazer escolhas, não fazer simplesmente o que "está afim" de fazer.

Com um pouco de inteligência o longa poderia ser um Conta Comigo, mais barra pesada.

Não Cresça tem bons conceitos, embora não os trabalhe com esmero que era necessário. Mas o gênero de horror não é e não precisa ser uma indústria de filmes certinhos e rentáveis. O longa experimenta uma boa ideia, que o diretor Thierry Poiraud não teve a maturidade de perceber quão rica e produtiva ela poderia ser para o gênero. Poderia até brincado com a síndrome de Peter Pan. Vamos esperar que o diretor cresça e quem sabe melhore, ou talvez vire apenas mais um zumbi na indústria do gênero do horror.



Não Cresça (Don't Grow Up - 2015)
Direção: Thierry Poiraud
http://www.imdb.com/title/tt3557406/

  Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-
Tecnologia do Blogger.