Header Ads

Pearl Jam Twenty

Pearl Jam Twenty, documentário dirigido por Cameron Crowe, é uma obra obrigatória aos fãs da banda de Seatle. Na década de 1990, eu também vesti a minha camisa de flanela e tenho até hoje um profundo respeito pelo movimento grunge e volta e meia, ainda ouço as bandas dá época, como Soundgarden, Alice in Chains e Nirvana. Para quem acompanhou a carreira do Pearl Jam, não há grandes novidades, apenas um grato apanhado de belas cenas, como exemplo o balé "agarradinho" de Eddie Vedder e Kurt Cobain, mostrando que havia algo bacana entre os dois líderes das bandas mais importantes da década de 1990.

O documentário é uma cinebiografia que traça as raízes da banda, desde o Mother Love Bone, dando a atenção devida a importância e o impacto que a morte do vocalista Andrew Wood teve para a formação do futuro Pearl Jam. É justamente nesse início que o o filme de Crowe funciona melhor, explorando uma página da história da banda pouco conhecida. Apesar da contribuição dos lindos depoimentos de Chris Cornell, que chega a chorar ao lembrar o antigo amigo Andrew Wood, o filme não amplia a visão dos demais parceiros de Seatle sobre a banda. Era de se esperar a participação de alguém do Alice in Chains, do Mudhoney, ou mesmo de alguém de fora do grunge para expor o que sentiram quando viram o Pearl Jam explodir. A partir da metade do filme há uma postura demasiadamente exagerada na homenagem a banda, faltando aprofundar alguns capítulos mais duros da história da banda, como na mudança musical realizada no álbum Vitalogy e no difícil processo de mudança no som da banda a partir de Binaural.

O maior pecado da direção de Crowe foi não ter explorado como o Pearl Jam, queira ou não, membro do movimento Grunge, conseguiu mudar a cara do cenário pop e rock da década de 1990, antes dominado por Michael Jackson e Madonna. O tal rock alternativo, tão na moda e descolado na atualidade, deve muito a esses malucos flanelados que só queriam tocar um pouco, beber e sair por aí curtindo cada show. Infelizmente, Crowe se contenta em apresentar apenas um ode a banda e perde a chance de mostrar algo muito maior que começou naquela Seatle de 20 anos atrás. Para quem quiser aprofundar um pouco veja Hype!, documentário de 1996 sobre o movimento grunge.

Ps.: Continuo escutando a banda e indico o último álbum BackSpacer, que é muito bom. Não fui ao show, pois meu tornozelo já não me permite curtir Even Flow como se deve. Deixe eu ir, pois minha enfermeira do asilo vai me dar umas pilulas sensacionais [smile].


Pearl Jam Twenty (2011)
Direção: Cameron Crowe
Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com -

www.pj20.com

Tecnologia do Blogger.