Header Ads

The Boy

Onde o mal se esconde? Esse é nome da série de contos de horror que venho escrevendo faz alguns anos e definem bem essa obra de arte chamada The Boy. Ted é um garoto que mora com o pai em um motel no meio do nada.  O garoto não tem o que fazer o dia todo, a não ser algumas tarefas de limpeza em um motel em que quase nunca há um hóspede. Sua infância é um vazio absoluto e para tentar mudar isso ele deseja rever a mãe, que fugiu daquele lixo de vida com um caminhoneiro que estava de passagem. Tem aquele velho ditado: "Cabeça vazia oficina do diabo". The Boy é justamente sobre isso.

Ted é interpretado de maneira espetacular pelo jovem Jared Breeze. Como o longa não é um filme de horror, também não é um suspense, ele está mais para um drama contemplativo de longo períodos  de silêncio. Breeze expressa a tristeza e angustia desse garoto, quase abandonado, utilizando sutilezas e olhares. Extremamente bem dirigido por Craig William Macneill o longa é uma caminhada suave dentro da alma em estado de putrefação de Ted. Você vê o garoto morrer aos poucos e surge algo pior dentro dele. Fica nítido que aquilo ali, já deixou de ser um garoto. Essa é a parte assombrosa do filme, ao mostrar como nós construímos a maldade. Ela é lenta, calma, mas as consequências são horríveis.

The Boy é uma obra obrigatória para quem curte horror e longas que debatem a maldade humana. A sequência final é de uma frieza, típica de serial killers, e o espectador fica boquiaberto com o encerramento. É desses filmes que dá orgulho de garimpar e tristeza de saber que pouca gente vai conferir.



The Boy(2015)
Direção: Craig William Macneill
http://www.imdb.com/title/tt2802144/

  Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-
Tecnologia do Blogger.