Header Ads

Terremoto - A Falha de San Andreas

O que você espera de um filme catástrofe? Basicamente soltar aquele palavrão, ainda que mental, put#$$@*&, ao ver um daquelas cenas hiper produzidas em computação gráfica e acompanhada de um bom nível de tensão. Nesse quesito Terremoto - A Falha de San Andreas é bem sucedido ainda que o teor de mentirada da cenas soe bem exagerado. E qual filme catástrofe não é?

The Rock, que agora prefere ser chamado de Dwayne Johnson, é um bombeiro que, no imaginário popular no mundo todo, é um herói cotidiano. Aqui ele não consegue salvar a população de Los Angeles e São Francisco que vira farinha em um gigantesco terremoto de 9,6 de magnitude, afinal, o roteiro buscar superar o o maior abalo sísmico da história, no Chile, em 1960, com 9,5. Já que não dá para salvar todo mundo, que tal salva a ex-esposa e a filha? Tá bom né? Ainda ganha um genro de lambuja.

As cenas são boas, mentirosas, mas geram o impacto desejado para o gênero da produção. O roteiro é raso, como é usual, mas até tenta tirar lágrimas do gigante The Rock, mas falta força emocional. Força que poderia ter linkado o drama familiar com a sequência final. Agora não sei o que Paul Giamatti está fazendo nesse filme, como o cientista que descobre tudo e conta para os espectadores. Terremoto - A Falha de San Andreas é uma boa bobagem cinematográfica, com bons efeitos e que vai te entreter por cerca de 90 minutos. O mais bacana é que ele não é chato, e isso lhe valeu uma estrelinha. Assim como No Olho do Tornado, aprecio uma mentira bem enfeitada. Cinema pop, corn.



Terremoto - A Falha de San Andreas (2015)
Direção: imdb
http://www.imdb.com/title/tt2126355/

  Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-
Tecnologia do Blogger.