Header Ads

Escala de Agressão

Garimpar bons filmes, já tem sido uma tarefa árdua. Aos cinéfilos que gostam de filmes que discutam a violência humana de maneira interessante e original, aí tem sido um suplício desde que Tarantino pôs na cabeça que vai ser o novo Rei do Pop. Escala de Agressão é uma grata surpresa da temporada que consegue agrupar violência e suspense em uma estória simples e que tem como protagonista uma criança. Imagine o Macaulay Culkin em Esqueceram de Mim, só que  espancando e matando as pessoas que invadem a casa dele. Ainda que tenha seus tropeços, o estranho garoto Owen garante um filme tenso e levemente psicótico.

Dirigido por Steven C. Miller, o longa começa com uma cara de Tarantino das antigas, com letreiros chamativos, tiros à queima-roupa e uma excelente trilha sonora. A trama é mais simples que fazer macarrão instantâneo. Um figurão do crime tem seu dinheiro roubado e manda seus capangas encontrar a grana e matar todos os envolvidos, que constam em uma pequena lista. Na cena seguinte, a família do nosso pequeno sociopata vai morar numa casa gigantesca no meio do nada, mas o pai e madrasta não conseguem esconder o ar assustado e temoroso. O espectador logo conclui: um deles deve estar na tal lista. Não demora 30 minutos de projeção e os capangas batem a porta. Escala de Agressão é um filme direto, simples e cru. Contudo o charme mórbido do longa está na apresentação gradual do garoto Owen, que deliciosamente, passa o filme inteiro sem proferir um palavra. Ah, convenhamos, um bom filme tem que ter menos verbo e mais ação.

Nem tudo são flores, pois o roteiro dá algumas escorregadas, que acabam entregando rápido demais aos cinéfilos mais calejados o que vai acontecer a seguir. A direção de Miller também soa, as vezes, excessivamente didática. Fica explicito demais, nos movimentos de câmera, onde o dinheiro está guardado na casa. Quando surge a cena revelando o local do dinheiro, acaba não surpreendendo o espectador, só o bandido mesmo. Deslises normais de um diretor novato, que não comprometem o entretenimento. Só diluem um pouco a boa ideia proposta pela trama.

No fundo o que torna o filme atrativo e acompanhar as pequenas armadilhas que Owen planeja para abater seus algozes. Uma pena que o roteiro não tenha sugerido uma forma mais inventiva para que os bandidos descobrissem que tipo de garoto ele é. Após o fim, até que fica um sabor interessante na retina, mas talvez, merecesse uma pitadinha de Violência Gratuita, com mais sequências dentro da casa, para incrementar o paladar do roteiro. De qualquer maneira, eu gostaria muito de ver Owen novamente na telona.



Escala de Agressão (The Aggression Scale - 2012)
Direção: Steven C. Miller
http://www.imdb.com/title/tt1816597/

Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-
Tecnologia do Blogger.