Header Ads

Shame

Brandon(Michael Fassbender) é homem bem sucedido, bonito e que mora em Nova York. Seria um bom partido para qualquer mulher, se não fosse sua compulsão por sexo. Opa, isso lá é defeito, deve pensar algumas de minhas leitoras. A questão é que Brandon não vê a mulher, só enxerga a vagina, os seios, a bunda, algo que possibilite a ele mais um orgasmo. Seja a masturbação, uma mulher, um homem, duas mulheres, um chat pornô, uma conversa erótica por telefone, o que importa é o gozo. 


Shame não é um filme fácil, não só pelo tema, mas também a forma estética e fria com que o diretor Steve McQueen (Fome) escolhe para nos apresentar o drama do protagonista. O filme é lento, com grandes cenas contemplativas e que se ajustam perfeitamente a visão fria e pragmática da compulsão sexual de Brandon. Perceba que mesmo na cenas dos flertes com as mulheres, Brandon deixa explicito no olhar - quero fazer sexo com você, apenas isso. O longa nos leva numa jornada triste e melancólica de um homem, que mesmo vivendo na maior cidade do mundo, se vê sozinho e preso ao vício. 


Interessante é que as cenas de sexo são retratadas de forma tão secas, sem qualquer fragmento de erotismo ou sensualidade. É algo mecânico, sem tesão. Isso fica claro ao expor a fria relação do sexo com prostitutas. Elas não ficam na cama fazendo cafuné ou conversando. Elas se levantam, vestem a roupa, pegam o dinheiro, e quase nunca, dizem Adeus ou até logo. As cenas não chocam, não mexem com o espectador, só há aquela sensação de comida "sem gosto", sem tempero. Isso pode levar boa parte das pessoas a analisar a obra como um filme ruim. Na verdade essa é a constatação sobre a vida de Brandon - ela é ruim. Ele percebe isso, mas como mostra a última cena do filme, como largar um vício como este, se há oportunidades de sexo em qualquer esquina?

Shame vai incomodar muitas pessoas, pois há muitos "Brandons" perdidos pelo mundo e que vão se enxergar no protagonista. O sexo como fuga dos problemas, para preencher as lacunas do nosso amago, ou apenas por diversão. E, tudo que é bom e tem uma grande demanda, acaba virando um negócio bem lucrativo. Afinal, o sexo lucra a milhares de anos e nunca como atualmente. O mais incrível é que pouco se fala desse assunto, ou seja, os viciados estão por aí, acesse a internet e encontrará muitos.




Shame (Shame - 2011)
Direção: Steve McQueen
http://www.imdb.com/title/tt1723811/


Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com -

Tecnologia do Blogger.