Header Ads

Sete Homens e um Destino

Fazer remake de clássico é pedir para ganhar crítica negativa. Contudo, essa nova versão de Sete Homens e um Destino, ainda que inferior ao original, tem algum valor a sua essência e traz um bom respiro para o gênero do faroeste no cinema atual. Claro que, grande parte se deve ao extraordinário talento de Denzel Washington, que nos coage, com arma em riste, para acompanharmos a sua jornada e assim salvar um pequeno vilarejo.

Claro que o roteiro é fraquinho, sem ir muito além do original. Mesmo com mais de duas horas de filme, os tais sete homens não são explorados com profundidade. Mesmo a moça (Haley Bennett), que dá início a toda aquela jornada, é quase esquecida na trama. O filme opta em realizar com esmero toda a gramática do gênero, o que vale elogios ao diretor Antoine Fuqua, mas não consegue ir além de um filme bem realizado. Eu até me diverti, mas fingi que esqueci o filme original, que por sua vez era uma adaptação do clássico Os Sete Samurais, de Akira Kurosawa. Ou seja, essa refilmagem é até bacana se analisarmos que ela é o remake do remake. O melhor elogio é: ele não é um ofensa aos dois filmes anteriores. Isso, atualmente, é algo maravilhoso. 



Sete Homens e um Destino (2016)
Direção: Antoine Fuqua
http://www.imdb.com/title/tt2975590/

  Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-


Tecnologia do Blogger.