Header Ads

O Ditador

Sacha Baron Cohen acabou se tornando um tipo de comediante dono de uma franquia sobre si mesmo. Ele explodiu com o excelente Borat, escorregou no chato Bruno, e consegue um resultado médio com uma crítica suave ao nosso modelo democrático em O Ditador. O longa é um apanhado de gags, algumas engraçadas outras menos, que usa o estereótipo dos recentes ditadores do mundo. A parte mais gostosa é quando o ditador Aladeen faz uma reflexão da conduta dos EUA diante dos demais países do mundo. Afinal, o que dá eles o direito de chamar alguém de ditador?

O grande diferencial desse filme em relação as obras anteriores é que ele é, claramente, uma encenação ficcional. Os longas anteriores possuíam cenas documentais, na qual as pessoas achavam que a personagem interpretada por Baron Cohen era real, o que acabou gerando situações surreais e imensamente engraçadas. Em O Ditador as piadas soam boas, mas sem o vigor da novidade que havia em Borat.

Quem segura a peteca bem é Anna Faris, que está sempre envolvida em comédias, apresenta um trabalho, razoavelmente, competente. Sacha Baron Cohen é um artista diferenciado em Hollywood, e precisa voltar a ousar. É natural que realize equívocos, como em Bruno. Mas é preferível ousar e errar, do que ficar na zona de conforto proposta em O Ditador. O único político americano atacado de verdade pelo filme foi o mafioso ex-vice presidente Dick Cheney. É pouco, não acha ?

Ps.: Você tem que assistir o filme por conta de uma cena em que Sacha Baron Cohen toma uma surra de um par de seios. Bizarro.



O Ditador (The Dictator - 2012)
Direção: Larry Charles
http://www.imdb.com/title/tt1645170/

Gilvan Marçal - gilvan@gmail.com
-
Tecnologia do Blogger.